A visão do bebê

Por volta da sétima semana de gestação, a visão começa a se desenvolver. Ao nascer, a criança enxerga borrões, claros e escuros, e rostos e objetos que fiquem de 20 a 30 centímetros dos seus olhos. O alinhamento coordenado dos olhos ainda é difícil. Virá com o desenvolvimento neurológico. O que mais chama a atenção do recém-nascido são formas redondas e cores contrastantes. O rosto da mamãe, sempre pertinho na hora de dar cuidados, é uma grande atração, fonte de comunicação, de afeto e de segurança para o bebê.

No segundo mês, o alcance de visão do bebê aumenta para cerca de 50 centímetros. Ele consegue fixar o olhar, focar objetos, e tenta acompanhar movimentos. No terceiro mês, passará a ver imagens tridimensionais e será cada vez mais capaz de seguir objetos ou pessoas. No quarto mês, seu filho consegue reconhecer pessoas. Aos 6 meses, estará enxergando praticamente como um adulto.

De olho na brincadeira

Mês Estímulos legais para a visão
Primeiro Fale com o bebê de perto, para ele poder enxergá-la. Brinque com objetos redondos e de cores fortes.
Segundo Faça caretas para que ele tente imitar. Um móbile no berço vai encantá-lo.
Terceiro Segure-o em pé no colo, para ele observar melhor a movimentação ao redor.
Quarto Brinque de esconder o rosto e fazer aparecer novamente. Eles adoram.
Quinto Coloque brinquedos perto e longe do seu filho, para ajudá-lo a ampliar o campo de visão.
Sexto Estimule a curiosidade do bebê, deixando-o cercado por objetos coloridos e de texturas diferentes.

 

Fonte: Portal Crescer

A visão do bebê

A visão do bebê

Por volta da sétima semana de gestação, a visão começa a se desenvolver. Ao nascer, a criança enxerga borrões, claros e escuros, e rostos e objetos que fiquem de 20 a 30 centímetros dos seus olhos. O alinhamento coordenado dos olhos ainda é difícil. Virá com o desenvolvimento neurológico. O que mais chama a atenção…

Usar colírio na gravidez por conta própria pode afetar o bebê

Usar colírio na gravidez por conta própria pode afetar o bebê

A OMS (Organização Mundial da Saúde) estima que 3% dos defeitos congênitos sejam causados pelo uso de medicamentos ou drogas durante a gravidez. “Até as gotinhas de colírio, aparentemente inofensivas, podem afetar o bebê”, afirma o oftalmologista do Instituto Penido Burnier, Leôncio Queiroz Neto. Isso porque, em mulheres grávidas a elevação dos hormônios sexuais altera…